Close

Arquivos Mensais: setembro 2014 [f2014Wed, 10 Sep 2014 16:43:10 +000009pm302014 10America/Sao_Paulo 10pm30pm 10201410 pmWed, 10 Sep 2014 16:43:10 +0000q00000043v201410 09America/Sao_Paulo910pm4310]

Paredão

As condenadas à morte chegam ao paredão e se colocam de costas para o atirador. Posicionam-se com pequena distância uma da outra. Sabem o que vai acontecer, e tremem. É aqui o ponto final, o caminho sem volta, o momento em que nada mais importa. Sabem também que a causa é justa e estão resignadas. […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos palavras, paredão, poema

Ler Mais

Quando o amor acontece

O homem está parado esperando o farol fechar para atravessar a rua. A mulher, do outro lado, faz o mesmo. Eles se olham à distância, se percebem, se estudam. Respiram juntos. E há esse instante, pequeno e imperceptível, em que o amor é possível. Esse instante acontece justamente antes que ele volte a ser um […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos amor, juntos, rua

Ler Mais

O grito da independência

Terminal Rodoviário do Tietê, em São Paulo, na véspera do feriado prolongado da Independência: dizer que se parece com o inferno é dar ao leitor uma ideia apenas aproximada da realidade. Aquilo É o inferno instalado na Terra, tal a quantidade de pessoas se acotovelando, a balbúrdia, o barulho, a excitação dos viajantes. Decidi não […]

Ler Mais

Naquele país

Naquele país havia um governo ganancioso. Tudo era motivo para cobrar impostos. A população, já à beira da miséria, penava para pagar tantos tributos, tantas taxas. Um dia todos foram surpreendidos pela novidade: o governo decidiu, por decreto, cobrar por… palavra. Para cada palavra falada ou escrita haveria uma taxa a pagar. Os jornais fecharam […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos governo, pais, palavras

Ler Mais

Quando menos é mais

Um peixeiro olhava feliz o novo cartaz de seu estabelecimento, em que se lia: “Hoje vendemos peixe fresco”. Chegou o primeiro cliente: – E então, seu Antônio, gostou do cartaz? – Está muito bom, seu Juvenal. Diga-me uma coisa: o senhor vende peixe velho? – Claro que não, ora! – Então, por que a palavra […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos mais, menos

Ler Mais

O Carlinhos não está!

Dona Tereza abre a porta: – Oi, Paulinho. – Oi, dona Tereza, o Carlinhos tá em casa? – Não, querido, não está. Se quiser, pode esperá-lo no quarto, ele não deve demorar. Você quer um suco? – Quero sim, dona Tereza. Obrigado. Paulinho grita lá de cima: – Dona Tereza! Dona Tereza! O Carlinhos tá […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos computador

Ler Mais

Os bebês

Ah, os bebês, como são bonitinhos! Mesmo quando nascem com cara de joelho eles são muito bonitinhos. Eu, como médico, fico verdadeiramente feliz quando dou a palmada na bundinha deles e os ouço chorar. Realizar um parto é uma emoção sempre diferente, cada vez parece que é a primeira. Tenho vontade de chorar de alegria […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos bebês

Ler Mais

Sem a verba do governo

Como em todas as manhãs, Rosa passa na casa de Alaíde. Grita do portão: – Vamos, Alaíde, que já estamos atrasadas. E ponha cachecol, que está muito frio. Na nossa idade qualquer resfriadinho vira uma doença sem remédio. – Estou quase pronta, Rosa, já vou sair – Alaíde grita de lá de dentro. No caminho […]

Ler Mais

Conversinha de adolescentes

Paro no Starbucks da Paulista para um café, num fim de tarde. Dois adolescentes de, no máximo, 16 anos, chegam esbaforidos e sentam-se ao meu lado. Estavam, evidentemente, com seu telefone último tipo nas mãos, e digitavam furiosamente. Adolescentes falam alto, sem receio de que os possam ouvir. Não têm pudores. Um deles interrompe a […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos adolescentes, conversinha

Ler Mais

Esses dois

Sempre às turras, como se não vivessem dentro do mesmo corpo – o meu! -, minha cabeça e meu coração se detestam. Já não se suportam mais. Tenho a todo momento que apartar suas discussões acaloradas, e o resultado é que termino o dia exausto. Ouvi dizer que ambos acalentam planos de homicídio e é […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Prosa Poética cabeça, coração

Ler Mais

Cinderela

  Tocam a campainha e a mocinha vai atender. Lá está um jovem rapaz com uniforme de príncipe e o rosto mais bonito que ela vira em toda a sua vida. Ele pede que ela calce o scarpin mais chique do mundo. Ela obedece, sem tirar os olhos daquele rosto escanhoado e sedoso. Quando ele […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos cinderela, sapatos

Ler Mais

Bilhetes

Como todo casal moderno, Celinha e Manolo trabalhavam o dia todo e só se viam à noite. Manolo era um homem muito distraído e sempre se esquecia de tudo. Ela, muito mais prática, pensou que seria uma boa ideia escrever bilhetes para o marido, para que não se esquecesse das tarefas do dia. Assim, toda […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos bilhetes

Ler Mais

Numa tarde de chuva

– São doze reais e sessenta e dois centavos. Acho que o que você tem aí não vai dar – disse o caixa do supermercado, olhando as notas amassadas e as moedas que o moço tirava do bolso do casaco surrado. – Espere aí, que vou procurar mais nos bolsos da calça – o moço […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos chuva, pão, supermercado, tarde

Ler Mais

As recordações

Ela procurou pela casa toda e nada. Não encontrou suas recordações. Sabia que as tinha guardado em algum lugar, “mas onde, pelo amor de Deus?”. Abriu todas as gavetas, revirou armários, verificou o bolso de todas as roupas, olhou embaixo da cama, tirou móveis de lugar. Em vão. Nada. Suas recordações simplesmente desapareceram. Teve um […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos recordações

Ler Mais

Nunca houve uma semana como aquela

Que semana, meu Deus! Inesquecível, extraordinária semana! O homem chegou à cidade num domingo ensolarado e encontrou a multidão à espera. Todos traziam ramos verdes nas mãos e gritavam “hosana, hosana!”, implorando por um aceno, um olhar, um toque de mão daquela pessoa que passava e sorria. A ocasião, de tão solene, deveria ter tapete […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos santa, semana

Ler Mais

Bruno

– Bruno, por acaso você sabe o susto que me deu? Passei a manhã inteira procurando por você, onde você se meteu, menino? Você sabe que poderia ter sido atropelado? Meu Deus do céu, o que seria de mim sem você? Tanta gente malvada que anda por aí, e você sozinho, sabe-se lá onde! Você […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos mãe, rabinho

Ler Mais

Dona Aracy vai às compras

Dona Aracy gostava especialmente das sextas-feiras: era o dia das compras no supermercado. Acostumada com o mercadinho simples do bairro – onde quase não havia variedade e ela tinha que se contentar com o pãozinho de sempre, o arroz de sempre, o guaraná de sempre -, dona Aracy ficou radiante quando construíram aquele gigante comercial […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos compras, supermercado

Ler Mais

Daqui eu não saio!

Ele se apegou ao lugar. Gostava de lá, de estar lá, de desfrutar de tudo o que lá havia. Não tinha com que se preocupar – estava bem confortável, tinha água e comida sempre que necessitava e, mais que isso, havia o silêncio ao redor, esse elemento tão importante e necessário para pensar na vida […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos lugar, menino, não saio

Ler Mais

Os iguais

Queria admirar o entardecer, mas minhas retinas insistem em contemplar outro cenário. Meu coração fica destroçado quando vejo as pessoas sem casa, pedindo a comida que não têm há dias, cobertas por trapos sujos que mal lhes protegem do frio. Aqueles que comem até não aguentarem mais bem que poderiam dar o resto de suas […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos andrajo, casa, comida, iguais

Ler Mais

O fazedor de eternidades

Sou um sujeito feliz. Tenho um trabalho de grande significado, que é consertar o que se quebra ou se desgasta. Troco as peças que não servem mais, reparo rachaduras, reajusto o que se rompeu, recupero o que estava inutilizado. Ninguém gosta de fazer essas coisas. Eu gosto, e isso me traz grande satisfação. Dizem que […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos eternidades, fazedor

Ler Mais

Dona Margarida toma seu café

A mulher atravessa a rua devagar e entra na padaria, como faz todas as manhãs. É um hábito adquirido há muito tempo, desde que o marido a deixara viúva. Sempre às sete horas, o lenço nos cabelos, a bolsinha apertada numa das mãos e o olhar baixo, como a comandar o movimento das pernas, que […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos café, filhos, pão

Ler Mais

Contos Mínimos # 111 a 120

111. Por mais que me esforce, sei que será uma tarefa inglória. Eu, desgraçamente, nasci sob o signo de Touro, e qualquer ignorante sabe que o signo ideal para ser escritor é o de Capricórnio. 112. O professor de Filosofia encerrou assim sua aula: – E no tempo em que Nietzsche escreveu “Assim Falou Zaratustra”, […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos Minímos contos, mínimos

Ler Mais

Contos Mínimos # 101 a 110

101. Ele publicava nas redes sociais tudo o que fazia. Deleitava-se com a inveja que os outros tinham de sua vida imaginária. 102. Ela não tinha medo das bofetadas que o marido lhe dava. Os beijos dele, esses sim, deixavam-na em pânico. 103. Roubaram minha carteira, quebraram minha perna direita em dois lugares, perdi dois […]

Ler Mais

Contos Mínimos # 91 a 100

91. Flavinha já estava com dez anos, mas seu pai ainda insistia em dar banho nela. 92. Enquanto bebia o suco chupando pelo canudinho, encostada no balcão, a moça linda flertava com o atendente da lanchonete. Perguntou a ele: – Vem cá, você gostaria de ser o pai dos meus filhos? – Claro, meu tesouro. […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos Minímos contos, mínimos

Ler Mais

Contos Mínimos # 81 a 90

81. – Me diz uma coisa linda, pediu ela. – Uma coisa linda, respondeu ele. 82. Olharam-se nos olhos, graves, sérios, feridos, magoados, tristes, dilacerados. Perceberam que era hora de cada um tomar o seu caminho, antes que o ódio destruísse a história que tinham construído juntos. 83. Não era um filme de zumbis, nem […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos Minímos contos, mínimos

Ler Mais

Contos Mínimos # 71 a 80

71. Não fecharei mais os olhos de hoje em diante. Não quero vê-la nunca mais. 72. Ele sempre soube que existia o outro lado e isso não o amedrontava. Ao contrário: preparou-se durante toda a vida e, quando chegou a hora, bebeu aquela luz que veio do alto e deu o primeiro passo. 73. – […]

Ler Mais

Contos Mínimos # 61 a 70

61. Deixou o caderno de anotações aberto em cima da escrivaninha. Assim que se viram livres, suas recordações saíram correndo e nunca mais voltaram. 62. Doou seu corpo para a ciência. Na Faculdade de Medicina, quando dissecaram o cadáver, os estudantes encontraram um projeto inacabado, umas quantas ilusões perdidas e uma infinidade de pores do […]

10 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos Minímos contos, mínimos

Ler Mais