Close

Arquivos Mensais: novembro 2014 [f2014Sat, 29 Nov 2014 16:55:47 +000011pm302014 29America/Sao_Paulo 29pm30pm 29201447 pmSat, 29 Nov 2014 16:55:47 +0000q00000055v201447 11America/Sao_Paulo1147pm5547]

Borralho moderno

Maristela passou o diabo desde criança. Órfã quando não era mais que um bebê, viveu a infância em orfanatos e casas de parentes. Jogada de um lado para outro, cresceu triste e retraída. Aos onze anos foi levada por uma senhora para viver em sua casa, prestando serviços domésticos. Sua vida tem sido assim desde então: […]

Ler Mais

Os sons que a noite traz

Todas as noites, antes de dormir, gosto de ouvir o som da sirene de um navio deslizando pelo mar, buscando seu caminho até o porto. Imagino sua delicadeza singrando as águas escuras, descobrindo o melhor caminho, aquele sem obstáculos, aquele livre de armadilhas, aquele que leva os passageiros com segurança a seu destino. Quando há […]

Ler Mais

Contos Mínimos # 171 a 180

171. O bom de ser um Zé Ninguém é que você não tem que corresponder a nenhuma expectativa que façam a seu respeito. 172. A chuva, quando caiu, lavou todos os nossos pecados. Foi uma pena. Durante o estio era tudo muito mais divertido. 173. O acrobata solta seu trapézio para agarrar o de sua […]

24 de novembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos Minímos contos, mínimos

Ler Mais

A história de amor que não foi contada

Eu queria que esta fosse uma história de amor. A história de um homem e uma mulher que um dia se conhecem num lugar qualquer da cidade e se apaixonam, como se apaixonam um homem e uma mulher que, em determinado momento da vida, estão receptivos para isso; algo como as árvores, que ficam à […]

Ler Mais

Os caramelos

No pote transparente sobre a mesa os caramelos dormem seu sono açucarado e sem sobressaltos. Estão serenos e descansam. A mão que escolherá um deles ainda está longe, escondida no bolso do casaco, cujo dono caminha despreocupadamente pela calçada, de volta do trabalho. Agora a mão empunha a chave, mete-a na fechadura e abre a […]

Ler Mais

O falecido, sua mulher e o tiro que saiu pela culatra

O anúncio era muito claro e, por isso mesmo, inacreditável: “Aluga-se apartamento no Jardim Europa. 200m², 4 suítes, 1 por andar, todo mobiliado. R$ 200. Tratar com a proprietária.”. Fechei o jornal com a certeza de que se tratava de algum golpe publicitário. No dia seguinte, lá estava o mesmo anúncio, exatamente com as mesmas […]

Ler Mais

As vacas prodigiosas

O povo daquele país ouviu dizer que, numa região remota, enquanto mascava vagarosamente a grama verde, uma vaca começou a falar. E não só a língua local, mas inúmeros outros idiomas, como o sânscrito, o mandarim, o javanês e até o latim, que todos consideravam uma língua morta. O detalhe curioso é que a vaca […]

Ler Mais

A vida como ela não devia ser

Quando completaram um ano de casados, em tom sério ela se dirigiu ao marido: – Afonso, nós já não nos entendemos mais, está tudo muito difícil entre nós. É melhor que a gente se separe agora antes que tenhamos filhos. Eles seriam muito infelizes. Ainda somos jovens e podemos ter outras chances de encontrar a […]

12 de novembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos casal, separação, vida

Ler Mais

Considerações sobre o indefensável

Alguns acontecimentos podem ser explicados pela ciência física, com suas leis, seus paradigmas e suas proporcionalidades e, ainda e mesmo assim, não ultrapassam jamais o terreno do indefensável. O resultado de golpear inúmeras vezes um corpo feminino vulnerável de cinquenta e sete quilos contra uma parede de concreto é uma quantidade de hematomas e ossos […]

Ler Mais

A loja de despedidas

Na estação rodoviária da cidade, entre um quiosque que vende lembranças para turistas e uma lanchonete, há uma lojinha de despedidas. Ali, os viajantes solitários, aqueles seres que transitam de um local para outro sem que haja ninguém que se despeça deles e que têm exposta na face e nos olhos vazios toda a tristeza […]

Ler Mais

Outros hábitos

Quando a irmã Maria dos Anjos morreu, os sinos do convento soaram melancolicamente. Todas as freiras se ajoelharam e entoaram cânticos em homenagem àquela cuja alma fora chamada pelo Pai. Como era boa a irmã Maria dos Anjos! Que grande coração tinha ela! E quantas qualidades! Foi uma pena ter partido tão jovem, mas os […]

Ler Mais

Sem medo de amar

Com os braços abertos diante da porta, ele procurava impedir que ela saísse. Era um momento doloroso mas, mesmo assim, ela conseguiu sorrir. – Você parece o Cristo Redentor. – Não vá embora, suplicou ele. Não vá. Ela baixou os olhos. “Eu volto em alguns dias”, disse, sem muita convicção, olhando para baixo. – Ele […]

6 de novembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos amar, medo

Ler Mais

Contos Mínimos # 161 a 170

161. – Mais que um irmão, você é meu amigo! – Eu penso da mesma maneira, Abel. 162. A mãe de Norman Bates gosta de se disfarçar de filho perturbado e cometer uns crimes por aí. Mas o que mais a diverte é se disfarçar de pessoa comum e ir ao cinema ver sua incrível […]

5 de novembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos Minímos contos, mínimos

Ler Mais

Os meninos-placa

  Vitória tem 12 anos e trabalha como menina-placa nos fins de semana. Sua obrigação é ficar em pé numa esquina da cidade, durante seis horas, segurando uma placa em que se lê: “3 dormitórios, 1 suíte, lazer completo”. Vitória não sabe o que é suíte, mas imagina que seja uma coisa boa, de gente […]

3 de novembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos esquina, meninos, placa

Ler Mais

Paciência

– Um vidro de paciência, por favor. – Paciência? – Sim, um vidro. Rápido, por favor. – A senhora trouxe a receita? – E desde quando é preciso receita para comprar um pouco de paciência? – Minha senhora, todo mundo sabe que paciência é produto escasso hoje em dia. Não posso vender assim, sem mais […]

1 de novembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos paciência

Ler Mais