Close

Arquivos Mensais: dezembro 2015 [f2015Mon, 21 Dec 2015 07:25:52 +000012am312015 21America/Sao_Paulo 21am31am 21201552 amMon, 21 Dec 2015 07:25:52 +0000q00000025v201552 12America/Sao_Paulo1252am2552]

A cabeça, que não se perca

Há dias perdi minha cabeça. Não sei quando nem como nem onde. Simplesmente a perdi. Agora ando por aí, descabeçado, e, mesmo que não tenha ouvidos, sei, pela ressonância em minha caixa torácica, do grito de terror das pessoas que me veem – um grito forte como um estouro de manada, que faz meu peito […]

Ler Mais

Dois pontos:

: porque fazer a mala é tomar decisões: deixar de fora o que não importa e garantir um lugar para o que não se pode viver sem: o acessório e o supérfluo não entram, assim como as roupas que jamais serão usadas ou os livros que nunca serão lidos e, pelo contrário, têm lugar assegurado: […]

Ler Mais

Contos Mínimos # 441 a 450

441. Atolado em dívidas, com as contas saindo pelas orelhas, ele decidiu: Que se dane, não vou pagar mais nada! Respirou fundo, experimentando uma agradável sensação de alívio e liberdade. Até que chegou a fome. 442. Depois de comerem as uvas e as lentilhas e assistirem bocejando à queima de fogos, eles trocaram o único […]

Ler Mais

Absurdo teatro

Cada um numa ponta da mesa, o senhor Tibúrcio e a senhora Engrácia tomam o café da manhã sob o olhar atento do senhor Ulisses. – Por obséquio, senhor Ulisses, pode dizer à excelentíssima senhora dona Engrácia que hoje à noite não estarei em casa para o jantar? –diz o senhor Tibúrcio, alto o suficiente […]

14 de dezembro de 2015 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos teatro

Ler Mais

Brasa adormecida

Ela viajava diariamente na frente dele, no metrô. Nunca trocaram palavra, nem ao menos um olhar, e isso poderia continuar indefinidamente, não fosse uma parada brusca do trem, que quase a deixou no chão. O braço forte dele a amparou antes da queda, Obrigada, moço, caso contrário ela teria se machucado de verdade. Essa mão, […]

9 de dezembro de 2015 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos brasa, fantasia, irmã

Ler Mais

A vida passa pelos pés

Completei oito anos porque minha mãe quis assim. E foi com oito anos que entrei pela primeira vez no metrô. Senti muito frio, porque era julho e em julho a cidade é fria. Lá eu percebi que podia existir noite durante o dia e conheci a escuridão, que era da cor da minha pele e […]

8 de dezembro de 2015 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos escuridão, pés, sapatos

Ler Mais

A comida

O silêncio que se podia cortar com uma faca tomou conta de todos em volta da mesa. O jantar transcorreu na mais absoluta quietude, mas estava claro que a qualquer momento haveria uma explosão. Cabeça baixa, ninguém tirava os olhos do próprio prato. Comiam, menos Leonardo, o filho mais novo. O chefe da família finalmente […]

7 de dezembro de 2015 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos comida, família, pai

Ler Mais

O nada

Era um circo, desses que há muito tempo não se via. Passou em caravana pela pequena cidade, anunciando as atrações da noite. O povo compareceu e eu também. Comprei o ingresso e fui conhecer “o que a televisão não mostra”. Olhei com desinteresse para todas as barracas – tiro ao alvo, a mulher barbada, o […]

Ler Mais

Os gritos

Que gritem! Eu me faço de surdo, não sou obrigado, ora! Que arranhem os forros de seda e a madeira de primeira qualidade em que foram postos. Eu não me importo nem um pouco. A mim só me pagam pra que faça a vigilância do lugar, não pra que ouça seus gritos e cuide deles, […]

3 de dezembro de 2015 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos gritos

Ler Mais

Os seres melancólicos

– Por acaso você tem a nova edição de “A Polaquinha”, de Dalton Trevisan? – Senhor, isso aqui é uma loja de calçados. – E isso impede que você venda os livros de Dalton Trevisan? – Por favor, cavalheiro, estou sem tempo para essas brincadeiras. – Está sem tempo? Não me diga que você está […]

2 de dezembro de 2015 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos melancólicos, seres

Ler Mais

Contos Mínimos # 431 a 440

431. Meu filho será advogado. Não um desses advogados que andam por aí, perdendo o sono e os cabelos numa porta de cadeia qualquer. Nem criando barriga e gastando os melhores anos de sua vida numa repartição pública até que a aposentadoria lhe seja oferecida como um prêmio. Não, não e não. Meu filho será […]

Ler Mais