Close

Arquivos Mensais: agosto 2016 [f2016Thu, 25 Aug 2016 07:27:18 +000008am312016 25America/Sao_Paulo 25am31am 25201618 amThu, 25 Aug 2016 07:27:18 +0000q00000027v201618 08America/Sao_Paulo818am2718]

Contos Mínimos # 601 a 610

601. Mãe e filho no shopping center: — Quero um sorvete, pediu o garoto, e a mãe comprou. — Quero aquele carrinho azul, e a mãe comprou. — Quero esse jogo pro meu computador, e a mãe comprou. — Agora quero que me compre um beijo, disse o menino, ao contemplar a foto de uma […]

25 de agosto de 2016 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos Minímos contos, mínimos

Ler Mais

A mulher sem alma

Disseram tantas vezes “Você é uma mulher sem alma”, que ela ficou na dúvida. Não se lembrava de ter tido ou sentido no corpo ou na mente algo parecido com aquilo a que se referiam. “O que é alma?”, perguntava ela, curiosa e aflita. “Está no seu interior, dentro do peito”, respondiam. “Todo mundo tem […]

Ler Mais

O limite da solidão das tardes de domingo

Todos os domingos, depois da missa das onze, as senhoritas Figueiredo Abrantes passeiam sua elegância recatada pela praça da matriz — sapatos de salto médio, saia abaixo do joelho, discreto decote, uma ou outra joia de família. Pode-se dizer que não só se preocupam em combinar cada peça dentro de uma mesma paleta de cores, […]

Ler Mais

Com a cabeça e o coração nos livros

Tive um avô que declamava poemas de amor para as estátuas do parque, um tio que lia sem parar e um pai que rabiscava trechos de Drummond nas paredes de casa. Eu cresci no meio de livros, versos e literatura. Minha mãe, mais prática, só enxergava as entrelinhas e sabia muito bem como as histórias […]

Ler Mais

Dar um nome

Nada a dizer. Nada pra escrever. Só uns dedos acariciando uma testa gelada. E a memória, o tempo passado, os erros sem conserto, os arrependimentos, como um gato (mal)acostumado com o crepitar da fogueira das recordações. Faça um favor pra mim: tire uma foto e me mostre, que preciso urgentemente saber o que estou vivendo. […]

20 de agosto de 2016 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Poesia dizer, escrever, foto, nome

Ler Mais

Gotas de Paixão

A maestrina levanta os braços para começar. O aroma Gotas de Paixão invade o ar e inebria todos os componentes da orquestra. O clarinetista se confunde e entra fora de ritmo, embriagado pelo perfume. Com um olhar duro e a batuta firme, o deslize é corrigido a tempo pela regente, sem que a audiência perceba. […]

Ler Mais

O menino e o mar

— Esse menino tem o mar na cabeça — pensava o pai ao ver Santiago brincando no milharal com o barquinho de papel. O vento fazia dançar as folhas da plantação como imensas ondas verdes, um oceano revolto sobre o qual flutuava solitária a pequena embarcação. Santiago ainda não conhecia o mar, mas sabia que […]

Ler Mais

Lembranças: modos de tratar

Há lembranças que devem ser guardadas num cofre forrado de cetim, como tesouro roubado dos piratas do tempo, que de tudo se apropriam. Sempre que o coração pedir, pode-se tirar a poeira acumulada na tampa e acarinhar cada uma delas. Quando tocadas, provocam riso, iluminam os olhos, confortam a alma, e isso é bom. Outras, […]

Ler Mais

Passeio turístico

— Sejam todos muito bem-vindos, senhoras e senhores. Podem passar por aqui. É um pouco estreito, mas isso faz parte do nosso novo pacote turístico “A pobreza existe e está entre nós”. — Meu Deus, quantos metros quadrados tem esta casa? E este cheiro horrível, de onde vem? — Esta é uma casa típica de […]

Ler Mais

Felicidade

Hoje tive tempo para escrever e trabalhar, para fechar os olhos e sentir o calor do sol nas pálpebras, para olhar o céu, para me alegrar. Ri um pouco de mim, de minhas manias, e tratei sem demora de criar novos sonhos, para utilizá-los logo mais à noite. Também tive tempo para um salto sem […]

Ler Mais

O sétimo dia

Abro minha caixa de ferramentas e examino: tenho olhos, ouvidos e nariz; tenho boca e tenho dentes; tenho pelos; alguns fios e cabos; pincéis de diversos tamanhos; tintas de cores variadas. Penso: chegou a hora de criar um homem. Penso um pouco mais — que forma terá? — e concluo: à minha imagem e semelhança. […]

Ler Mais

A preço de ocasião

Orientes e ocidentes, príncipes, princesas, rainhas, presidentes, top models, sapos, bruxas, sereias, verões gelados, invernos escaldantes, ipês roxos e amarelos, ocasos sem deuses, amanheceres, pores do sol, sonhos, ilusões, sangue, vísceras, entranhas, fezes, vergonhas várias, valentias e covardias, bravatas, jararacas, monstros dentro e fora do armário, traficantes, drogados, afogados, ladrões, dólares na cueca, apego ao […]

Ler Mais

Contos Mínimos # 591 a 600

591. Como se de uma praga se tratasse, todos começaram a se beijar. Na rua, no metrô, nas praças e parques, nos becos, na porta dos prédios, nos pontos de ônibus. Beijos inocentes, cordiais, de língua, obscenos, carinhosos, violentos, ternos. As pessoas se beijavam porque sim e por que não? Beijos de todas as cores, […]

10 de agosto de 2016 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos Minímos contos mínimos

Ler Mais

O crime e o castigo

Depois da violenta bofetada, no instante preciso em que apartava a mão do rosto de sua mulher, o telefone tocou. Um arrepio percorreu sua espinha: lembrou-se de que tinha jurado nunca mais fazer isso. E não tinha feito até então, não por falta de vontade ou oportunidade. Sua mulher o provocava, frouxo, desempregado, incompetente, brocha!, […]

Ler Mais

Os números vermelhos

Ontem o Rivelino subiu pro céu. Eu não vi quando ele foi embora, minha mãe quem disse. Rivelino era um gato que não comia rato, não tinha cor nem pelo de gato, e também não tinha rabo. Estava sempre miando por comida. Às vezes ele desaparecia, mas sempre voltava quando estava com fome. Minha mãe […]

Ler Mais

Triângulo

I. Helena gosta de Henrique, Helena ama Henrique, Helena venera Henrique. Eu gosto de Helena, eu amo Helena, eu venero Helena. Helena morreria pelo Henrique, Helena mataria pelo Henrique. Eu morreria pela Helena, pela Helena eu mataria qualquer pessoa, inclusive o Henrique. II. Henrique terminou com Helena, Henrique destroçou o coração de Helena. Helena sofre […]

Ler Mais

Viver naquele tempo

Meu avô sempre contava histórias daqueles anos, quando o futuro era incerto e cinza como o pelo de uma ratazana, dizia. Ele dizia que, naquele então, os mais jovens tinham que emigrar para tentar alguma sorte na vida, e que essa coisa de estudar era quase só para os filhos dos mais ricos. Que os […]

Ler Mais

Louca por limpeza

A mulher que mora no sétimo andar mantém a casa em perfeita organização e muito limpa. Imaculada, pode-se dizer. Todas as manhãs ela esfrega o rejunte dos azulejos e encera o piso da sala e dos quartos. As louças brilham, a madeira dos móveis não tem nem uma partícula de pó, as cortinas são lavadas […]

Ler Mais

A resposta

Isabel abre a porta com suas mãozinhas e espia. Vê o avô sentado na poltrona e corre para perguntar a ele. Lembra-se de que ele sempre tem resposta pra tudo. O velho a olha e não a vê, a mirada fixa num ponto infinito que a menina não consegue saber onde está. Depois volta a […]

Ler Mais