Close

Arquivos Mensais: setembro 2016 [f2016Fri, 30 Sep 2016 10:18:04 +000009am302016 30America/Sao_Paulo 30am30am 30201604 amFri, 30 Sep 2016 10:18:04 +0000q00000018v201604 09America/Sao_Paulo904am1804]

A turma da limpeza

Vassouras na mão, Argemiro e Jurandir terminam a faxina. Observam se está tudo no lugar e em ordem. Argemiro é sempre o mais entusiasmado. — Rapaz, eu amo o meu trabalho, sou apaixonado pelo que faço. Dá só uma olhada nessa beleza! — Deixe de ser tonto, Argemiro, para com isso! Só você mesmo pra […]

Ler Mais

Transplantes

Há transplantes de órgãos variados, de pulmão a coração, de medula a córnea. Em todos eles é necessário que alguém morra para que outra vida siga pulsando. Não foi o que aconteceu comigo. Quando era criança, não conseguia falar, pelo menos como as demais. Emitir o som de uma sílaba era tarefa que demandava muito […]

Ler Mais

Sentidos

Dalva cobre os olhos com um lenço negro de seda e tudo ao redor recupera o cheiro, a forma e a textura. Ela passeia por sua casa guiada pelas mãos e acaricia os objetos que seus dedos encontram. O eco do barulho da rua ainda está presente em sua cabeça e ouvidos. Sente com o […]

Ler Mais

Pelo retrovisor

Bom seria se amanhã eu pudesse olhar pra você com os olhos de ontem. Assim, depois de uns poucos meses, conseguiríamos superar essa indiferença doída que existe hoje entre nós e começaríamos de novo com nossas brigas. Num par de anos estaríamos na fase das pequenas discussões cotidianas, todas por motivos sem importância e, muito […]

Ler Mais

Pontos de vista

Às onze da noite, preocupada, Mamãe pensa na sua Filhinha e, no meio dos sombrios pensamentos, a imagina dançando e rebolando como uma louca sem vergonha num antro repleto de homens imorais e igualmente desavergonhados, uma Babilônia qualquer do século vinte e um, pecadora e imunda. Com certeza está fazendo movimentos lascivos e ouvindo aquela […]

26 de setembro de 2016 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos Filhinha, mamãe

Ler Mais

O encontro

Ontem Joaquim deu sinal de vida, quase trinta anos depois daquela manhã de outubro em que se despediu de mim, como costumava fazer antes de sair para o trabalho. Naquele dia eu esperei que ele voltasse, e no outro também, em vão. No terceiro compreendi que teria que conviver com sua ausência. A carta que […]

Ler Mais

A mocinha do caixa

Um homem com uniforme de mecânico e uma verruga perto do nariz compra meio quilo de presunto defumado e dois pedaços de fumo de rolo. São quinze reais e trinta centavos, informa a bela mocinha do caixa. A senhora que aperta as gorduras sob a roupa de oncinha coloca na esteira três garrafas de vinho, […]

Ler Mais

Ninguém reparou

Ladeira abaixo, sem mãos que a guiem, vai a bicicleta. Na praça, no meio da multidão que vocifera, uma pomba cisca pelo chão e se alimenta das porcarias que encontra. Do meio da torcida uniformizada, ensandecida e com sangue nos olhos — seu time acabou de perder o campeonato — sai um policial à paisana, […]

Ler Mais

Monalisa

As portas do museu ainda estavam fechadas e a fila já transbordava de turistas impacientes e barulhentos, máquinas fotográficas em punho. Alguns gritavam e apontavam o relógio, não se cumpre mais o horário nesta joça? Dentro do prédio, em pé na frente de um pequeno quadro, gesticulavam o diretor da instituição, o restaurador-chefe, o responsável […]

20 de setembro de 2016 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos Monalisa, museu, sorrir, turistas

Ler Mais

Sobreviver ao “Grande Quando”

É a terceira Humanidade que passa pela Terra e, embora acredite que seja singular e única, não difere muito das outras duas que já fizeram morada nesta superfície. Tal como nas anteriores, também agora os Sapiens nascem e, depois de algum tempo, morrem. Uns amam, outros odeiam segundo regras e razões muito semelhantes. Fazem promessas. […]

Ler Mais

A escolha

Caminha ereta. Seus passos não perdem a elegância de um flamingo, embora esteja andando há dias. Os dois meninos, de cabeças enormes e pernas finas, acompanham como podem o ritmo da mãe; parecem frangos doentes, ciscando inutilmente um terreno estéril, que não fornece alimento algum. Andam os três sobre uma terra rachada e poeirenta. O […]

Ler Mais

Contos Mínimos # 611 a 620

611. Então, só pra exercitar, vamos supor o reverso da história: se ele, talvez, hipoteticamente falando, tivesse aparecido na porta de casa com um ramo de flores, poderia me dar um beijo, me convidar a um restaurante chique e falar que me amava. Antes de sairmos, eu poderia, fazendo uma grande gentileza, pegar a tesoura […]

16 de setembro de 2016 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos Minímos contos mínimos

Ler Mais

Siamês

Havia simetria, espelho perfeito com duas cabeças, duas costas, duas nucas, quatro glúteos em harmonia. As mãos com duplo dorso, joelhos que se tocavam, calcanhares em oposição, quadris que se completavam — a natureza, e só ela, decide que desenho criar, que engenho produzir, que imagem apresentar para o espanto dos olhos humanos. Agora toda […]

Ler Mais

Esta tarde vi chover

Donato e Cirilo se sentam todos os dias no mesmo banco de praça e conversam. Enquanto tomam sol e esfregam as mãos para espantar o frio, Donato — que na realidade não se chama Donato — pergunta a Cirilo sobre sua esposa. Cirilo — que tampouco é Cirilo — responde que a defunta vai bem, […]

Ler Mais

O cheiro de peixe

Foi só abrir a porta do apartamento e o cheiro de peixe podre golpeou minha cara como uma bofetada. Corri até a cozinha para verificar se tinha me esquecido de pôr o lixo pra fora. Não era isso. A lata estava vazia, mas no fundo tinha uma mancha engordurada e escura. Com cara de nojo […]

13 de setembro de 2016 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos cheiro, peixe

Ler Mais

O filme

Se fosse o caso, alguém poderia tirar uma fotografia ou fazer um filme e lá estaria eu, flutuando na busca vã de equilíbrio, girando no ar para não cair de costas. Não quero baixar e me esborrachar de frente, que isso iria estragar minha gravata, que é nova e preciso dela no meu trabalho. Viro-me […]

Ler Mais

Distrato

Devolvo os beijos que você me deu, eles não passaram pelo período de experiência. Seu amor veio com defeito de fabricação e em pouco tempo virou sucata. O investimento em filhos não deu dividendos, não estudam nem trabalham. A casa de frente pro mar foi pura enganação e veio abaixo diante da fome dos empreiteiros […]

10 de setembro de 2016 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Poesia contrato, distrato

Ler Mais

Quando só a chuva importa

O ato da paixão, quando há paixão, tem de assemelhar-se às tormentas, é o que alardeiam os corações humanos. E, se de tormenta se trata, não há tormenta mais prazerosa que aquela que se inicia com o relâmpago que estala em seus olhos e atinge diretamente os meus, anunciando tempestades iminentes. Ou o furacão que […]

Ler Mais

O doce Augusto

Nasceu palhaço, um grande palhaço, mas não percebeu, e ninguém lhe disse. E então passou os anos fingindo uma seriedade que não tinha. Jamais prosperou: não foi capaz de cuspir nem dar pontapé no traseiro dos outros ou fingir que gostava de criança, pois gostava de verdade. Era mesmo um palhaço, só que não sabia […]

8 de setembro de 2016 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos humor, palhaço, riso, seriedade

Ler Mais

Eletrodomésticos

Se eu tivesse um cachorro, talvez não começasse a falar com a lavadora de roupas, digo pra mim mesmo enquanto, como faço toda sexta-feira quando volto do trabalho, jogo dentro da máquina as peças sujas da semana, adiciono sabão em pó e amaciante e ligo o programa Edredon, que é o mais longo e protege […]

Ler Mais

Feitos um para o outro

Ela saiu de casa numa madrugada qualquer, sem deixar pista do que pretendia fazer. Não lhe faltava coragem pra recomeçar, mesmo depois de tanto tempo. Tinha caráter, não era mulher de se sujeitar a insultos e maus tratos. Foi até a estação, decidida a pegar o primeiro trem, não importava pra onde. Ele colocou a […]

Ler Mais