Close

Arquivos Mensais: janeiro 2017 [f2017Tue, 31 Jan 2017 10:14:27 +000001am312017 31America/Sao_Paulo 31am31am 31201727 amTue, 31 Jan 2017 10:14:27 +0000q00000014v201727 01America/Sao_Paulo127am1427]

O pai e o filho do pai

Quando for adulto quero ser advogado como meu pai. Para isso terei que aprender a falar como ele, usando aquelas palavras tão estranhas que ele pronuncia o tempo todo. Eu não entendo o significado delas, mas têm um som bonito: processo recursivo, data venia, ação declaratória, dolo, ação direta de inconstitucionalidade, agravo, arresto de bens, […]

Ler Mais

A sopa

A sopa de legumes desidratados sonhava com a hora em que chegaria a ser o primeiro prato numa elegante mesa de dez comensais. Era o que dizia o seu sedutor e colorido traje de plástico amarelo: Deliciosa sopa caseira vegana. Serve até dez pessoas. No envelope, havia uma foto de uma linda sopeira transbordando de […]

30 de janeiro de 2017 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos esgoto, jantar, legumes, sopa

Ler Mais

Epitáfio

Não me venham com essa história de Mãe devotada, nossa eterna saudade. Escrevam aí: Morreu de cansada. Porque é assim que estou e me sinto: cansada. Saio desta vida com alívio, não preciso trabalhar mais. Chega de varrer, cozinhar, lavar, passar, limpar, costurar, chega! Não vou levar comigo os baldes nem os panos de chão […]

Ler Mais

O dedo apontado para a lua

Quando o Grande Sábio apontou a lua, o Muito Estúpido deteve os olhos naquele dedo esticado e viu que era o indicador. Era um dedo enrugado, com a pele gasta e descolorida, tão gasta e tão fina que se podia ver o sangue correndo nas veias minúsculas, fragmentado em pequenos pontos vermelhos que subiam e […]

Ler Mais

Anatomia do depois

Com a respiração voltando ao normal, o homem olha em volta. Entra no banheiro e lava as mãos. O sabonete tem cheiro de sândalo. Quando fecha a torneira, ele percebe que a água segue pingando. Pensa que amanhã tem que chamar o encanador. Seca as mãos e pendura a toalha no lado esquerdo do suporte: […]

Ler Mais

Uma família

Em minha casa os familiares falam ao mesmo tempo, menos eu. Isso causa alguma estranheza em todos, e não raro se perguntam se eu teria alguma doença ou algum retardo mental. Izildinha, minha irmã mais velha, sim, como fala! Ninguém a ouve, como de resto ninguém ouve ninguém, mas não lhe faltam elogios por sua […]

Ler Mais

Eu amanheci e entardeci; não sei se anoiteci

Amanheci e saí de minha casa para sair de minha cidade. Sem olhar para trás: esse era o meu plano. Primeiro abandonei minhas ruas habituais, lá onde comprava o pão e o jornal, lá onde meu cachorro fazia cocô, lá onde cortava meu cabelo, lá onde conheço a pele dos edifícios e das sarjetas. Lá […]

20 de janeiro de 2017 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Prosa Poética cidade, plano, ruas

Ler Mais

Memórias de aquarela

Eu subia na ponta dos pés, esticava o braço e arrancava uma maçã. Depois me sentava no chão e apoiava as costas no tronco da macieira. Enfiava os dentes na fruta enquanto as vacas, mais adiante, olhavam como estátuas o horizonte de montanhas e nuvens baixas. Nada acontecia nesse cenário parado, o ar não se […]

19 de janeiro de 2017 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Prosa Poética aquarela, mundo, vida

Ler Mais

Janete no metrô

São 7h39 da manhã, o metrô entra no túnel e Janete respira aliviada. Ela tem seis minutos — exatamente seis minutos — até a próxima parada e muito por fazer. Assim que se acomodou, abriu a bolsa e tirou de lá tudo o que precisava para arrumar o rosto: o pente minúsculo para as sobrancelhas, […]

18 de janeiro de 2017 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos amor, metrô, moço, trem

Ler Mais

Contos Mínimos # 661 a 670

661. Caminhando pelo parque, no meio da grama vi nascendo, de maneira heroica, uma palavra. Para cuidar dela, arranquei-a do chão e a levei para minha casa. Coloquei-a num vaso com água para que crescesse e chegasse a ser uma frase, um conto, uma novela, um romance — quem sabe? 662. Se escutam, se falam, […]

17 de janeiro de 2017 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos Minímos contos mínimos

Ler Mais

Conduta adequada

Estamos todos aqui, em fila, esperando para mijar no tronco dessa árvore. Porque este é o local oficial em que todos os cachorros devem mijar. Há uma lei que determina isso. É verdade que se pode mijar em qualquer outro lugar, trata-se de uma idiotice que todos mijemos aqui, mas os homens da lei determinaram […]

Ler Mais

Felino

A ideia do suicídio assemelha-se a um gato sinuoso de pelugem suave. Ele se deixa acariciar, solta aqui e ali um miado de prazer e depois vai embora, senhor de si e da situação. Você fica com a mão vazia no ar, sentindo que alguma coisa faltou, ficou incompleta, murchou.   Mais tarde, outro dia, […]

11 de janeiro de 2017 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Poesia felino, gato, suicídio

Ler Mais

Não, tampouco, nunca, pode ser, depende, talvez, sim, às vezes, claro

Os partidários do Não apareceram timidamente, em grupos pequenos. Silenciosos, entediados mas seguros de si como costumam ser aqueles que dizem não. Os seguidores do Tampouco chegaram logo depois, dando apoio aos militantes do Não — o que é, por si só, uma redundância gritante, totalmente desnecessária. Os do Nunca, radicais desde sempre, vieram fazendo […]

Ler Mais

Um caroço de cereja entre os dentes

Ao meio-dia o sol derrete cabeças, e o céu sem nuvens é uma ameaça tão azul quanto terrível. O condenado, exausto depois de vários dias submetido ao castigo, ainda resistia amarrado ao poste de madeira. Sua vista turvada agora não distinguia formas nem cores, mas pôde ouvir os passos de alguém saltitante que se aproximava. […]

Ler Mais

Heleninha

Claro que aquela sirigaita da Heleninha não era perfeita. Não era o anjo que as freiras diziam que era. Grande coisa que era mais bonita que nós, as outras, as coitadas, como a madre superiora gostava de falar. A Heleninha não, não era uma coitada, tinha uma beleza marmórea semelhante à dos querubins e por […]

6 de janeiro de 2017 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos anjo, coitada, Heleninha

Ler Mais

Elizete e a vitrola

Sempre gostei de você, Elizete, sempre. E agora que somos velhos, sozinhos, eu posso lhe dizer isso. Antes não: você era a mulher do Jovino Penitente. Olhe só que coincidência, a gente poder se encontrar de novo aqui neste café onde você trabalha! Como passa o tempo! Parece mentira, Elizete, que agora você esteja falando […]

5 de janeiro de 2017 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos bolero, café, discos, vitrola

Ler Mais

As jararacas

Deu-se o fato de que duas jararacas irmãs, quando ainda eram filhotes, se arrastaram na poeira numa luta feroz por um alimento que ambas desejavam. O resultado foi que uma delas arrancou um olho da outra, abocanhou a comida e se afastou, abandonando a irmã, agora caolha, à própria sorte. O tempo passou e, muitos […]

4 de janeiro de 2017 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos caolha, filhote, jararaca, olho

Ler Mais

Striptease

De longe só se vê que há luz no quarto, mas pouco se distingue o que acontece lá dentro. Com meu binóculo, escondido atrás da cortina no apartamento do prédio em frente, tenho visão privilegiada e posso ver tudo com detalhe. Posso vê-la tirar a roupa, por exemplo. Como agora. Ela acabou de entrar. Jogou […]

Ler Mais

Um homem que espera

Abelardo espera numa esquina. Não se sabe muito bem por que nessa esquina e não em outra. O lugar da espera não tem relevância alguma, porém. E nem se conhece com exatidão, ademais, o motivo pelo qual Abelardo espera. Ele sabe esperar como ninguém porque pratica esse exercício há muito tempo. Tem técnica, método, know-how, […]

2 de janeiro de 2017 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Prosa Poética espera, esquina, homem

Ler Mais