Close

9 de setembro de 2014

A hora da despedida

Creiam, não foi fácil. Pelo contrário, foi muito penoso vê-la assim, na minha frente, tão frágil, e com um rio de lágrimas saindo daqueles olhos… Foi duro resistir. Ela implorava por um minuto a mais, um outro abraço ainda mais apertado. Ia para a França e talvez não voltasse mais. É provável que eu nunca mais a veja. Ela soluçava, como se estivesse diante da maior tragédia de sua vida. Eu, que não tenho sangue de barata, fiquei todo comovido, claro. Digo isso porque muita gente me vê como um homem frio e insensível, mas não, sou uma pessoa de carne e osso. Eu também tenho coração. Ninguém imagina o quanto sofro em momentos como esse. “Siga adiante, senhorita” foi a última coisa que eu disse, enquanto lhe devolvia o passaporte e chamava o próximo passageiro da fila de embarque.

 




Tags:,

9 de setembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos despedida, hora

               
              
            
                

Deixe um comentário