Close

13 de maio de 2017

A parideira

Justina, virgem de quinze anos, foi obrigada por seus pais a se casar com Mariano, o velho impotente mais rico do vilarejo. Foi uma transação financeira, e Justina teve que se conformar. Para encobrir sua falta de ereção, Mariano usava um falo artificial ofertado pela benzedeira Cremilda, uma velha amiga, a troco de uma grande soma de dinheiro. Como a alcova do casal ficava permanentemente às escuras, por ordem de Mariano, Justina nunca se inteirou do ardil. Parecia satisfeita com a vida de casada e com as atividades sexuais que seu marido lhe proporcionava.

Quando Justina ficou grávida, Mariano enfureceu-se. Não conseguiu disfarçar o semblante sombrio a cada vez que o cumprimentavam pela paternidade tardia. Foi imediatamente falar com Cremilda, de quem cobrou explicações. Ela usou a lábia de costume para acalmá-lo:

— Fique frio, cidadão! Você quer que a cidade entre em falatório? Tire da cabeça a ideia de que Justina o trai com outro homem. O que aconteceu é que o falo que eu lhe dei, entre outras virtudes, tem o poder de procriação. Eu não disse nada antes porque queria ter certeza de que sua mulher era parideira. Agora que está comprovado que ela é fértil, alegre-se e aproveite o nascimento do rebento. Venha cá, não mereço uma recompensa adicional por esse presente que está prestes a chegar?

Cremilda o olhou com expressão severa, mas logo sorriu quando Mariano enfiou a mão no bolso e de lá sacou um maço de dinheiro. E assim o marido voltou para junto da esposa, mais animado e com paz no coração. Justina engravidava ano após ano, justo no período da colheita do café, quando a cidade se enchia de trabalhadores forasteiros. Vieram à luz sete meninos: dois pretinhos, um loiro, um ruivo, um com cara de índio e dois orientais. Com o passar do tempo, Mariano mais e mais se admirava com o poder mágico daquele falo que sua amiga Cremilda lhe dera.

 




Tags:, , ,

13 de maio de 2017 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/mbaggio/" title="Visualizar todas as postagens por Mario baggio" rel="author">Mario baggio Contos falo, filhos, parideira, procriação

               
              
            
                

Deixe um comentário