Close

25 de setembro de 2020

A vida eterna

Ele lia todas as orações com fervor e sabia de cor os credos que aprendia nos templos que frequentava. Ajoelhava diante de qualquer deus que merecesse esse nome e era o mais devoto entre os devotos. Não havia reza que seus lábios não recitassem com tremor e emoção. Sentia-se, não raro, um santo entre os homens. Dedicava as horas a todos os cultos, queria garantia de uma vida eterna compensatória. Um dia morreu. Quando entrou no reino das sombras, encontrou-se com um deus não mencionado em nenhum dos livros sagrados. Era um deus taciturno e estranho, que o pegou pela mão e o jogou na massa comum — outra vez barro, outra vez lodo. O barro comum, o lodo de sempre.

 




Tags:, , , , , ,