Close

13 de novembro de 2015

A visita

visitaGosto muito de visitar minha mãe na casa de repouso. Sorrio quando escuto suas histórias sobre a vida que nunca foi a sua, os amores que não teve, os maridos que nunca foram seus, os filhos que teve – dos quais não se lembra – e os que ainda pretende ter, mesmo aos 90 anos. É uma alegria me perder no carinho de seus dedos carcomidos pelo reumatismo, provocar-lhe risadas espontâneas e tornar suas tardes menos solitárias. Ela me escuta com atenção quando falo da família que não tenho, de como minha vida está bem e de como sou feliz.

Todas as vezes, antes que os cuidadores venham buscá-la, ela me pergunta quem sou eu e como me chamo. Sorrio e não respondo. Digo até amanhã e ela vai embora. Vejo-a caminhar com dificuldade e me enterneço. Não choro mais. Logo chego ao parque e me deito sobre as folhas de papelão. Olho o céu, tomara que hoje não chova. E penso em como são boas as noites de verão, quando as estrelas ficam mais brilhantes e próximas. Fecho os olhos e continuo meu trabalho de colecionar sombras. Amanhã volto lá para ver minha mãe.

 




Tags:,

13 de novembro de 2015 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos mãe, visita

              
            
  1.     
                        
              
            
                

Deixe um comentário