Close

20 de agosto de 2019

Antes que anoiteça

Olho pela última vez o céu,

que já não me assusta com sua ameaça de chuva.

Recebo a primeira gota de água

na pele seca e enrugada

do meu velho, velhíssimo rosto.

A inundação veio logo em seguida: previsível.

Abro a boca e engulo ar,

talvez pela última vez.

Abaixo a cabeça, vencido:

nada mais a fazer.

 

Vejo em sua mão a ponta da corda que

em alguns segundos, poucos,

estará em volta do meu pescoço,

a mesma que me susterá por minutos e que

não servirá para mais nada quando meus pés

estiverem fora do chão.

O pior de tudo — pior que a dor,

o desterro e a larga caminhada à frente —

será não poder expirar e

morrer com os pulmões cheios,

por isso solto com força todo o ar que engoli e que

ainda estava dentro de mim,

até que me abandone qualquer sinal de vida.

Um pontapé na cadeira e tudo acabará.

Enquanto balanço, sou consciente de que

seus olhos guardam a dor do verdugo,

aquela que vem junto

com a aplicação do castigo,

aquela que inunda o coração e os olhos

de quem impinge o castigo.

 

Essa dor — não se iluda, ela não passa!

 

Vejo seus olhos e sei do que digo.

Mas não cante vitória

ainda,

o dia só está começando.

Quando o meu sofrimento acabar,

começará o seu. Lide com ele

antes que anoiteça.

 




Tags:, , , ,

20 de agosto de 2019 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/mbaggio/" title="Visualizar todas as postagens por Mario baggio" rel="author">Mario baggio Poesia castigo, corda, dor, sofrimento, verdugo

              
            
  1.     
                        
              
            
                

Deixe um comentário