Close

22 de dezembro de 2016

Apenas um velhinho de bom coração

Nos dias parecidos com os de hoje, lembro-me de meu avô Celestino, do lado paterno da família, um velho rabugento de barbas brancas, impaciente com as frivolidades deste mundo — tudo é vaidade!, repetia —, que gostava de me contar a mesma história sempre que o Natal se aproximava. O menino que eu era apurava os olhos e os ouvidos para a sua voz de tabaco:

O Homem desandou o caminho que haviam traçado para ele. Desprezou Eva por tê-lo enganado e, uma vez recuperado da traição da mulher, decidiu enfrentar o Criador. Rejeitou a semelhança com Ele, não queria ser parecido nem ser considerado uma criação Sua. Negou os animais, as florestas e os rios, e também a ideia de crescer e multiplicar, que ele julgava estúpida. Não aceitou o sol, a lua e as estrelas como invenções divinas e tampouco acreditou no milagre que fez aparecer os mares, secou a terra e a fez fértil. Por último, disse um sonoro “não” à luz que afastou as trevas, porque isso não era outra coisa senão feitiçaria. Nessa altura, já convertido ele próprio no Gênesis de tudo, culminou sua obra de maneira grandiosa, espetacular: inventou Deus. No final de seu trabalho, o Homem se sentiu muito solitário e buscou uma maneira de diminuir sua solidão. O resto você já conhece, concluía ele, fechando os olhos.

Esse é o começo do mundo, vovô. E o Natal?, eu perguntava.

Meu avô não respondia. Permanecia de olhos fechados e assim, ensimesmado, acabava com mais uma garrafa de vinho. Quando a madrugada chegava, embalado pelo álcool que lhe deixava as bochechas vermelhas, meu avô Celestino se metia no traje de Papai Noel e saía pelas ruas distribuindo presentes vagabundos para as crianças pobres do bairro. Eu ficava na janela vendo seu andar cambaleante sobre as calçadas úmidas, sem saber se acreditava em sua descrença ou se ele era apenas um velhinho de bom coração.

 




Tags:, , ,

22 de dezembro de 2016 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos avô, coração, Natal, velhinho

              
            
  1.     
                        
              
            
                

Deixe um comentário