Close

23 de maio de 2016

As feras

leão2Wanderlei meteu a mulher e os quatro filhos no carro novo e decretou: Hoje vamos ver os leões no Simba Safári. Lá chegando, tomaram todas as precauções indicadas pelos guardas, fechando as janelas e travando as portas do carro, que com os leões não se pode facilitar. Passearam durante duas horas no parque, entre as risadas e os gritos das crianças, que nunca tinham visto um leão de verdade e tão de perto.

Os bichos se esticavam na grama sob as árvores, alheios aos visitantes. Preguiçosos, bocejavam, lambiam as patas e tentavam dormir no calor do dia. De vez em quando se levantavam e passeavam por ali, deitando-se em seguida sob outra árvore. Dirigindo um jipe, um dos guardas acompanhava de perto os carros, atento para interferir no caso de alguma emergência. Para trazer mais emoção ao passeio, aproximou o jipe de um dos leões, para forçá-lo a se levantar e, com isso, permitir que os visitantes tirassem fotos dos bichos em movimento.

O leão, incomodado com quem vinha perturbar seu sossego, levantou-se e, com um rugido mais irritado que amedrontador, arranhou com as unhas o carro novo de Wanderlei. Enfurecido, e brandindo uma chave inglesa que pegou no porta-luvas, Wanderlei saltou do carro e socou a ferramenta com toda a força no focinho do animal que, assustado, fugiu pra longe dali.

O guarda protestou, mas Wanderlei, espumando de ódio, jogou-se contra ele e só não o matou porque foi impedido aos gritos por sua mulher, as crianças e outros guardas que vieram correndo. Todos fizeram um grande esforço e finalmente Wanderlei foi dominado e imobilizado. Então os guardas conseguiram aplicar nele a injeção para amansar animais.

 




Tags:, , ,
              
            
  1.     
                        
              
            
                

Deixe um comentário