Close

11 de março de 2015

Autoajuda

Livros ajuda

Sempre se imagina o pior quando se ouve o barulho de um tiro nas proximidades. Quando o barulho vem de dentro da própria casa, a imaginação dá lugar a um pressentimento terrível. Se esse mesmo barulho tem origem no quarto do filho único, adolescente, no andar superior da casa em que moram Jorge, o pai, Heloísa, a mãe, e André, a sensação de que aconteceu uma tragédia é insuportável. Em momentos assim, a reação primeira é gritar de horror. Jorge e Heloísa gritaram de horror quando abriram a porta do quarto de André, o filho único, adolescente.

A primeira coisa que Jorge e Heloísa viram foi a pilha de livros de autoajuda que eles próprios deram ao filho, que estava na idade de se decidir na vida e seguir adiante, rumo a um futuro cheio de realizações e promessas cumpridas, um futuro que só dependia de sua força de vontade e desejo férreo de traçar o próprio caminho em direção a uma existência plena de felicidade e sucesso. Havia nove desses livros na mesinha de cabeceira, todos devidamente lidos. O décimo estava caído no chão, ao lado do corpo rígido do adolescente e da arma ainda quente em sua mão direita.

O décimo livro, cujo título era Faça Você Mesmo!, estava aberto na página em que se lia a frase porque ninguém vai fazer por você.

 




Tags:

11 de março de 2015 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos autoajuda

               
              
            
                

Deixe um comentário