Close

1 de abril de 2015

Balada do homem horrível

mãos

Não sou uma pessoa em quem se possa confiar.

Também não sou o que você busca, perdoe-me:

sou um viciado,

um assassino,

um enganador,

um ladrão,

uma fraude.

Não sou um homem bom.

Manchei a honra de pessoas decentes.

Desfiz casamentos felizes e me orgulhei disso.

Matei recém-nascidos.

Violei e torturei mulheres.

Condenei inocentes a destinos terríveis.

 

Penso, entretanto, em continuar a fazer tudo isso

 

enquanto mantiver os olhos abertos para ver a vida

e esse coração (que não descansa nunca) bater em meu peito.

Enquanto houver palavras para juntar,

liberdade para pensar e

minhas mãos para escrever.

 

 




Tags:,

1 de abril de 2015 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Poesia escrever, homem

               
              
            
                

Deixe um comentário