Close

31 de julho de 2015

Contos Mínimos # 341 a 350

moca341.
A moça estava em dúvida sobre o que fazer: se adotava um filho ou um cachorro. No fim, resolveu adotar uma postura.

342.
Ele estava entediado em casa sem fazer nada. Decidiu criar uma máquina do tempo. Pensou em se distrair visitando outros períodos da humanidade. Foi ao passado e viu o que tinha no passado, mas achou muito chato e voltou em seguida ao presente. Foi ao futuro e viu o que havia no futuro. Voltou ao presente e destruiu a máquina do tempo. Agora trabalha na construção de uma máquina para reiniciar o mundo.

343.
Abri os olhos e olhei o mundo ao redor. Voltei a fechá-los. Era melhor continuar morto.

344.
Desde que terminamos, vivo procurando você em cada mulher que encontro. Mas nenhuma é igual. Todas são melhores.

345.
Ele era o palhaço mais importante do circo e morreu trabalhando. Agora estava na mesa fria da autópsia, ainda com o nariz vermelho colocado no rosto. Não pude resistir e apertei aquela bola colorida. O som que saiu era tão engraçado que todos os médicos ali presentes caíram na maior gargalhada. Na sala de espera, o domador, a trapezista e a bailarina choravam desconsolados.

346.
Ele tinha uma bala no coração, ela, uma na cabeça. Nunca ninguém saberá qual dos dois amava mais o outro: se ela, por matar-se por ele, ou ele, por deixar-se matar por ela.

347.
O frasco me olhou fixamente e perguntou: “De quê estou cheio?”. “De perfume”, respondi. Ele retrucou: “Está bem. Eu tinha notado mesmo um cheiro forte”. E voltou a se calar. Pensei: “Como é possível que certos frascos desconheçam o seu conteúdo?”.

348.
Ela costuma guardar a primavera nos olhos. Nas outras estações, distribui flores com o olhar.

349.
Ele se calou para assim evitar que ela chorasse. Ela, por causa disso, chorou em solidão porque ele não falava com ela.

350.
A guerra terminou. Os soldados recolheram suas armas e demais pertences e voltaram para casa. Os sargentos deram as últimas ordens e voltaram para casa. Os capitães guardaram suas medalhas e voltaram para casa. Os generais pensaram em criar outra guerra para se sentirem em casa.

 




Tags:,

31 de julho de 2015 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos Minímos contos, mínimos

               
              
            
                

Deixe um comentário