Close

13 de outubro de 2017

Contos Mínimos # 801 a 810

801.

Quando o dinheiro não era um problema, iam todos os sábados ao cinema, jantavam fora e, em casa, passavam a madrugada em brincadeiras amorosas. Agora ambos estão desempregados. Ele faz bicos para ganhar algum, ela não diz nada. O aluguel está atrasado, mas isso não é privilégio deles. Os dois pequenos passam os fins de semana com a avó. Para relembrar os velhos tempos, hoje verão um filme na televisão bebendo tubaína e depois, na cama, farão amor. Ele não sabe como ela está preocupada com a situação. Ela tenta esquecer que só para ele a função é gratuita.

802.

Encontraram seu corpo inerte junto ao computador. Ele nunca escreveu nada relevante, mas sua nota de suicídio foi um sucesso entre os leitores.

803.

Para aquele aluno esperto, o ápice do aquecimento global era sua professora de Geografia prendendo os cabelos.

804.

Era um menino incapaz de compartilhar seus brinquedos, a merenda, os sorrisos e as gentilezas. Com o tempo, até seu amigo invisível o abandonou.

805.

O delicioso aroma de chocolate o envolveu e o levou até a frente da doceria “A Viúva Que Cantava”, junto com outros inúmeros apaixonados por doces. A ele coube a senha de número 32.

806.

O rei acabou de tomar a sopa e, entusiasmado, pediu mais um prato, para surpresa e desapontamento dos conspiradores.

807.

O último relatório de autópsia produzido no Instituto Médico Legal certifica que o médico forense bebe além da conta em seu posto de trabalho.

808.

Antes que o papai volte, preciso recolher meus brinquedos, lavar meu rosto e meu cabelo e colocar de volta a roupa que ele me comprou. Sei que a família inteira vem junto com ele, até a mamãe, que vive dizendo que vai me levar com ela para sempre, porque o que o papai fez não tem perdão. É verdade. Quando ele fica nervoso dá medo, mas eu gosto de brincar com ele. Estão abrindo a porta, acho que é o papai chegando. Preciso entrar rápido na caixa. É um pouco estreita, mas com esse forro de cetim dentro fica bem confortável. Agora tenho que ficar o mais quieto que puder, papai não pode desconfiar que não estou morto.

809.

O técnico vendeu o passe daquele zagueiro logo após o primeiro treino. Ele tinha voltado das férias mais bronzeado e bonito que a estrela do time.

810.

Dizem que algumas bruxas — não muitas, não todas — começaram a tomar consciência e, envergonhadas e arrependidas de suas atitudes obcecadas, tendenciosas, conservadoras, passaram — algumas, não muitas, não todas — a apontar para o Sul.

 




Tags:

13 de outubro de 2017 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/mbaggio/" title="Visualizar todas as postagens por Mario baggio" rel="author">Mario baggio Contos Minímos contos mínimos

               
              
            
                

Deixe um comentário