Close

28 de novembro de 2017

Contos Mínimos # 831 a 840

831.

Preso no congestionamento quando voltava do trabalho, o homem de negócios não se preocupou: com um simples toque em seu telefone celular, acendeu as luzes da varanda, ajustou a temperatura do ar-condicionado, subiu as persianas, gelou o vinho, esquentou o jantar, ligou o aparelho de som, acionou o aroma de lavanda no umidificador da sala e inflou a boneca (o homem a chama de Sarita).

832.

Morri há pouco tempo, algo como quinze dias, mas esse é o menor dos meus problemas agora. Busco apartamento mobiliado ou uma casa de poucos cômodos, com aluguel barato. Preciso de um lugar decente onde cair morto.

833.

Meu vizinho comprou um carro enorme, potente, majestoso, brilhante, conversível. Ele sempre estaciona o veículo na frente da minha porta, para se exibir. Isso eu sei, e não me incomoda. Mas meu cachorro não sabe e continua mijando nas rodas, como sempre faz.

834.

Utilizou a bandeira branca para limpar o sangue daqueles que tinha acabado de matar.

835.

A famosa linha que separa a genialidade da loucura não existe. É tudo loucura.

836.

Tudo tem seu antônimo, seu contrário, seu oposto. Sua nêmesis. Do mesmo modo que a Bela Adormecida precisa de um príncipe que a desperte com um beijo, existe em algum lugar do mundo uma Feia Insone que há uma eternidade espera que um príncipe a beije para, finalmente, dormir.

837.

Entregue e com voz trêmula, a rosa abriu as pétalas e sussurrou para a abelha: “Vem!”.

838.

Faz muito tempo que não falo sobre mim. Estou aprendendo a não falar daquilo que não entendo.

839.

A morte tomou fôlego e se acalmou. Comprou uma casinha com horta e plantou alface. Morreram todos os pés de alface. Plantou tomates. Morreram. Plantou batatas. Morreram. Plantou… morreram. Sentada na varanda de sua casinha com horta, a morte tomou fôlego e se acalmou, enquanto as coisas — todas as coisas — continuavam morrendo.

840.

— Olá, Chico (apertou o gatilho e deu cinco tiros). — Tchau, Chico.

 




Tags:

28 de novembro de 2017 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/mbaggio/" title="Visualizar todas as postagens por Mario baggio" rel="author">Mario baggio Contos Minímos contos mínimos

               
              
            
                

Deixe um comentário