Close

31 de julho de 2018

Diariamente

18 de novembro: São Esíquio, mártir. Do fundo do rio Orontes, ele aconselha: acorda, já começou outro dia, hora de transitar pelo desvario de rodapés, lá mesmo onde as formigas fazem fila — vão para onde? Giram sem parar, estúpidos, os ponteiros do relógio. Giram, também, os restos incômodos do tambor da lavadora de roupas — essa coisa redonda não se cansa? Como consegue não se engasgar com tanto sabão e amaciante e cueca suja? — a inutilidade das perguntas.

O impostor reclama sua ração diária de pão com manteiga vencida, café com leite morno e sem açúcar e uma fatia de queijo branco, que é preciso cuidar da gordura no sangue. O sol já está alto e a catástrofe se anuncia. Tempo de agonias, de considerações, de arrependimentos, de remorsos, de luta constante. Como todos os tempos.

No caminho há um bar, vômitos secos nos batentes e portas, na sarjeta em frente. À falta de chuva e da educação tão geral, a bosta dos cães resseca dia a dia. O atendente serve o insuportável café de máquina, que vicia, com a mesma camisa xadrez de anteontem, aquela cujos botões se esforçam para esconder a barriga.

Falta pouco para o Natal e já se veem aqui e ali as oferendas ao deus do riso forçado e do gozo imposto, portanto, não se espere nada muito diferente do tédio. É apenas 18 de novembro, dia de São Esíquio, mártir, atirado ao fundo do Orontes com uma pedra amarrado no braço direito, a mando de Diocleciano. Sortudo, não teve que voltar e arrastar a pedra ladeira acima, uma e outra vez. Nós, sim, ainda que finjamos ignorar essa sina.

Nos folhetos do supermercado anunciam a quinzena da amnésia, uma grande promoção de esquecimentos, todos em ofertas imperdíveis. 18 de novembro, também dia de São Sísifo, imbecil e mártir. Tão digno, tão ignorante de sua cotidiana morte, ladeira abaixo, a caminho do escritório. 13º andar, por favor.

 




Tags:, , ,

31 de julho de 2018 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/mbaggio/" title="Visualizar todas as postagens por Mario baggio" rel="author">Mario baggio Contos diariamente, mártir, morte, pedra

               
              
            
                

Deixe um comentário