Close

3 de maio de 2015

É um bolero, mas poderia ser um tango

Beijos-de-casal-apaixonado

– Eu disse a você para não voltar aqui.

– É verdade.

– Que nem pensasse em colocar os pés nesta casa novamente.

– Certo.

– Que se você aparecesse de novo, eu atearia fogo em você.

– Sem dúvida nenhuma.

– Que eu preferia morrer a viver um só minuto a mais com a sua pessoa.

– Afirmativo.

– Que eu até poderia matá-lo sem o menor arrependimento.

– Não duvido.

– Você sabe que eu tenho coragem, não sabe?

– Claro que eu sei.

– E que, se você ainda está vivo, é porque eu quero.

– É isso mesmo.

– E que, se a gente está conversando agora, é porque eu permiti.

– Está certo.

– E que se você está aí parado feito um dois de paus é porque eu sou uma mulher muito generosa.

– Disso eu não duvido.

– E que a sua cara continua sendo a cara de um idiota.

– Infelizmente é verdade.

– A cara idiota do homem mais idiota do mundo.

– Com toda a certeza.

– E que, apesar de tudo, sua boca continua… o que posso dizer?

– Não diga nada.

 

 




Tags:,

3 de maio de 2015 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos boca, casal

               
              
            
                

Deixe um comentário