Close

8 de outubro de 2016

O cachorro perfeito

cachorro

Gabriel tinha cinco anos e um cachorro de três patas que jogava futebol e pegava moscas em pleno voo. Na cama, menino e cachorro dormiam juntos, viam televisão sob o mesmo cobertor e todas as manhãs, às oito em ponto, se despediam na porta do colégio. Foi lá que Gabriel conheceu os números e aprendeu a contar. Um balanço no parquinho, dois sanduíches no jantar, três gols do seu time favorito. Não teve dificuldade nenhuma para aprender até o número três, mas, no dia em que conheceu o quatro, voltou cabisbaixo da escola. Ficou um tempo pensativo no sofá da sala. O cachorro quis subir no seu colo, mas ele o afastou com a mão.

— Perdeu uma pata, tinha que ter quatro, só tem três!

 E começou a procurar pela casa a pata que faltava. Olhou embaixo da mesa e da estante, abriu armários, vasculhou gavetas, fuçou na lavanderia. Nada, nem sinal. A mãe, arrependida de nunca ter lhe explicado, prometeu que amanhã tudo estaria resolvido.

Hoje, quando Gabriel voltou da escola, a mesa estava amputada, a poltrona, mutilada, e a cama, coxa. Em cima dela, como sempre esteve, o cachorro perfeito.

 




Tags:, , , ,
               
              
            
                

Deixe um comentário