Close

26 de janeiro de 2017

O dedo apontado para a lua

Quando o Grande Sábio apontou a lua, o Muito Estúpido deteve os olhos naquele dedo esticado e viu que era o indicador. Era um dedo enrugado, com a pele gasta e descolorida, tão gasta e tão fina que se podia ver o sangue correndo nas veias minúsculas, fragmentado em pequenos pontos vermelhos que subiam e desciam entre as falanges. Na parte superior, na superfície do nó do dedo, as veias se espalhavam e pareciam as nervuras de uma folha. O Grande Sábio era tão velho que a pele de seu indicador era uma membrana de consistência morta mas, mesmo assim, conservava as marcas das mordidas que ele dava no próprio dedo nos momentos de reflexão, em que seus olhos se perdiam no horizonte, ou nos instantes de iluminação plena, ocasião em que seu olhar se voltava para dentro da alma, em tranquilo e profundo êxtase. Em todas essas ocasiões, o nó de seu dedo indicador sofria a incidência de seus dentes afiados.

Nos demais dedos da mão do Grande Sábio havia penugem, que o Muito Estúpido observou bem, mas não perdeu tempo com isso, tal era sua concentração no indicador, diferente dos outros por ser liso e com aparência escorregadia. Além disso, os poros do dedo índice eram maiores e mais abertos que os dos demais e a unha, mais pronunciada que as outras, curva e com uma cobertura amarela e brilhante; parecia um cristal, e refletia. O contorno da cutícula estava perfeitamente desenhado, não havia em sua linha côncava o menor resquício de pele desprendida. O local de nascimento da unha, a porção branca que existe logo após a cutícula, era um ovo pequenino, para o qual o Grande Sábio olhava de vez em quando como se ali residisse o centro universal de alguma coisa, cujo significado ele (ainda) desconhecia.

O Muito Estúpido fixou o olhar, por fim, na superfície da unha do indicador, que coincidia com a ponta extrema do dedo e se inclinava com delicadeza para baixo. Foi na curvatura da unha do dedo índice do Grande Sábio que o Muito Estúpido viu, perfeitamente refletida e redonda, a lua.

 




Tags:, , , , , ,
               
              
            
                

Deixe um comentário