Close

6 de fevereiro de 2017

O filho de Maria

Maria enrolou o bebê recém-nascido num cobertor trapento e foi para a rua. Os peitos secos não conseguiam alimentar a criança que, por alguma razão inexplicável, não chorava; dormia. O marido tinha sumido assim que soubera da gravidez, levando os únicos bens que o casal possuía e que poderiam ser vendidos ou empenhados: as ferramentas de carpinteiro, algumas quase novas e que poderiam render um bom dinheiro nesses momentos de aperto.

Tão aflita quanto decidida, Maria percorreu várias ruas buscando uma esquina movimentada, onde pudesse se sentar e pedir esmolas; seu menino logo iria acordar e reclamar de fome. Mas era feriado, as lojas estavam fechadas, as calçadas, desertas, e nas ruas os carros passavam em velocidade, espirrando a água acumulada em poças no asfalto. Não respeitavam o sinal vermelho, de maneira que Maria nem cogitou abordar as pessoas dentro dos automóveis.

No centro da cidade, descobriu uma pequena garagem abandonada, entre a catedral e o palácio do governador. Maria entrou e percebeu, aliviada, que lá o vento e o frio não castigavam tanto. Observou o bebê, que continuava dormindo, e teve vontade de chorar, mas não chorou. Olhou em volta, procurando algo para deitar a criança, enquanto pensava no que fazer para conseguir dinheiro. No meio dos entulhos descobriu uma caixa pequena de madeira, cheia de palha. Sorriu, pelo menos o meu menino não vai passar frio. Rodeou o berço improvisado com os pedados recortados de papelão que encontrou pelos cantos e percebeu, olhando de outro ângulo, que pareciam pequenos animais pastando.

Já ia anoitecer e outro temporal se avizinhava. Nessas condições, seria perigoso continuar andando pelas ruas com o menino nos braços. Olhou a criança que ressonava no bercinho, suspirou e seguiu caminho. Alguma solução ela haveria de encontrar. Não, não esperava nenhum milagre.

 




Tags:, , , ,

6 de fevereiro de 2017 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos bebê, filho, mãe, maria, milagre

               
              
            
                

Deixe um comentário