Close

25 de abril de 2019

O haicai mais bonito

O haicai de que falo é o mais bonito que conheço, o meu favorito. Repito sem parar aquelas poucas palavras. É igual comer a mesma uva, pequena e perfeita, uma e outra vez. Passeio pela casa declamando os versos e sopro as letras no ar em todos os cômodos, até na área de serviço, pequena como o poema da minha predileção.

Paro perto do piano e, com o corpo colado à lustrosa madeira negra, recito. Recito na frente da reprodução das bandeirinhas do Volpi. Recito para a samambaia pendurada perto da janela da sala. Batuco os dedos marcando as sílabas de cada verso nos móveis, na estante de livros.

Apuro o ouvido e me escuto dizendo o haicai mais bonito. Depois digo sem escutar. Em seguida ouço sem dizer. Quando o cachorro me olha, ajoelho-me ao seu lado e declamo os versos com os lábios colados em suas orelhas grandes e brancas. Escuto meu poema na voz do locutor de notícias da televisão. Nas músicas que o rádio toca. Na voz da mocinha do supermercado quando me pergunta Encontrou tudo o que procurava, senhor?

Ouço meu haicai favorito no sino da catedral, que pesa mais do que uma tonelada e em cuja superfície uma borboleta dorme seu último sono. Sinto a insuportável pressão que o inseto colorido exerce sobre o instrumento de ferro e bronze. Meu poema favorito é aquela mariposa. Ele tem uma força que eu ainda desconheço.

Na passagem dos dias o haicai mais bonito permanece vivo em minha vida, novo a cada vez que minha boca o pronuncia. A cada vez que minha língua lambe limão com mel. A cada consciência que tenho da existência de algo que falta. A cada manhã, quando tiro a tramela da porta e deixo o sol bater.

Não há nada que possa me separar desse haicai tão bonito.

 




Tags:, ,

25 de abril de 2019 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/mbaggio/" title="Visualizar todas as postagens por Mario baggio" rel="author">Mario baggio Prosa Poética bonito, haicai, poema

               
              
            
                

Deixe um comentário