Close

20 de agosto de 2015

O jardim secreto

jardimMeu filho foi quem a descobriu primeiro. Estava dentro de um velho armário de madeira, grudado à parede. Fazíamos nossa mudança para esta casa tão antiga, mas ainda em bom estado.

– Olha, pai, uma passagem secreta.

Era uma portinhola estreita, de não mais que metro e meio de altura, cravada no fundo do armário. Tive que utilizar ferramentas para abri-la e, quando consegui, um raio de luz me inundou o rosto, embora já fosse quase noite. Passamos por ela, meu filho e eu, e deparamos com um imenso jardim verde, cheio de plantas, flores e árvores. Uma borboleta deu voltas em mim. Havia cabras pastando ao longe. Os pássaros cantavam enquanto voavam em direção ao céu mais azul que já tínhamos visto. Um macaquinho nos observava com a mesma curiosidade que nós a ele. Ao longe vimos girafas, rinocerontes, cervos, zebras, todos cuidando de si em completa calma e harmonia. Ficamos olhando a paisagem por longos minutos, completamente encantados.

– Que lugar bonito, pai!, disse meu filho.

– Isso é poesia, respondi.

Quando fechamos a porta, disse para meu filho: “Precisamos avisar as autoridades sobre isso.”.

Dois policiais apareceram em casa na manhã seguinte. Mostrei a eles a porta secreta e o jardim que havia depois dela. Eles não disseram nada, mas aplicaram duas multas: uma por fazermos obras sem permissão da prefeitura, e outra por mantermos animais em cativeiro, sem licença do órgão responsável. E foram embora.

Nunca mais abrimos a portinhola. Nossa vida seguiu como sempre foi, comezinha. E nas vidas comezinhas não há lugar para a poesia. Mas a imagem daquele jardim encantado nunca mais saiu de nossas retinas.

 




Tags:,

20 de agosto de 2015 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos jardim, poesia

               
              
            
                

Deixe um comentário