Close

3 de dezembro de 2015

Os gritos

gritoQue gritem! Eu me faço de surdo, não sou obrigado, ora! Que arranhem os forros de seda e a madeira de primeira qualidade em que foram postos. Eu não me importo nem um pouco. A mim só me pagam pra que faça a vigilância do lugar, não pra que ouça seus gritos e cuide deles, que isso não é da minha competência. Nem me dou ao trabalho de perder o sono por causa desse barulho que eles fazem toda noite. Eu, hein?

Que eu bebo demais? Ora, claro que não! O que vocês fariam em meu lugar? Aqui as noites são muito compridas e o sol demora uma eternidade pra chegar. A gente tem que beber um pouquinho, isso aqui é uma solidão só. Não fossem os gritos deles, qualquer um poderia ouvir o voo de um mosquito.

Se vocês querem saber a minha opinião, eu não estou nem aí. Que gritem como lobos, como cães raivosos, como animais feridos. Eu, como se fosse surdo. É desse jeito que eu me comporto. E fico alerta o tempo todo, claro. Porque se algum deles resolver aparecer por aqui, eu tenho que me impor. Mando o sujeito pro inferno de uma vez, pra que grite no ouvido do demônio. Que não me venha atormentar a vida, não estou pra isso. Eu sou só um vigilante.

Todas as noites é a mesma coisa, podem acreditar. Assim que começam os gritos eu tenho que beber. Se eles estão sofrendo, se estão desesperados, que aguentem, não é verdade? Ninguém pode mudar a realidade. E ninguém é feliz aqui fora, por que eles deveriam ser? E acho que vocês deveriam ter mais cuidado, porque depois sobra pra mim, e vocês não me pagam pra isso. Eu só sou pago pra cuidar que não entre nenhum bandido aqui. Que culpa tenho eu se são enterrados vivos? Eles, é claro, gritam.

 




Tags:

3 de dezembro de 2015 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos gritos

              
            
  1. Mário que bom que você acreditou “Houve quem dissesse que tenho algum talento para isso, e eu acreditei.”
    Gosto muito do jeito que você escreve!!

  2.     
                        
              
            
                

Deixe um comentário