Close

3 de junho de 2015

Os mais belos poemas de amor

andorinhas

Nós, as andorinhas,

levamos os segredos da primavera nas asas.

Como notas musicais,

como gotas de orvalho na manhã recém-nascida,

atravessamos o céu e as nuvens em busca de olhares

perdidos,

esperançosos,

silentes.

 

Aí estás tu. Aí está o teu olhar.

 

Se tu me deres morada,

eu, andorinha,

farei meu ninho em teus cabelos

e assim vigiarei teu sono,

para que sonhes os sonhos mais bonitos

e nunca te desveles.

 

Se deixares que eu fique aí,

cuidarei para que o crepúsculo te entregue,

uma a uma,

as estrelas que recolhi especialmente para ti,

com diligência e presteza.

 

Se aceitares meu afeto,

cantarei minha canção quando o céu chorar a chuva

e levarei para longe, por desnecessária,

a solidão que assombra a tua vidraça:

não precisas dela, agora tens a mim.

 

Quando a estação soprar o último sopro

e mostrar que tudo acaba,

quando as flores estiverem com as pétalas plenas

e eu tiver que voar para outros sítios,

deixarei em teu regaço a poesia que inventei

e pedirei às marés,

ao vento nordeste

e à lua prateada

que te façam companhia,

que te iluminem e te abençoem

para que tu,

transbordada de tanta primavera,

possas receber o verão

com os mais belos poemas de amor.

 




Tags:, ,

3 de junho de 2015 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Poesia amor, poemas, primavera

              
            
  1. Mario, fiquei encantada com o seu poema de amor! Sempre fui apaixonada pelo antigo lirismo, pelos românticos, pela vida sem crueza! Deus abençoe a sua cabeça , o seu coração , a sua alma de sonhar!

  2.     
                        
              
            
                

Deixe um comentário