Close

6 de novembro de 2014

Sem medo de amar

homem chorando

Com os braços abertos diante da porta, ele procurava impedir que ela saísse. Era um momento doloroso mas, mesmo assim, ela conseguiu sorrir.

– Você parece o Cristo Redentor.

– Não vá embora, suplicou ele. Não vá.

Ela baixou os olhos. “Eu volto em alguns dias”, disse, sem muita convicção, olhando para baixo.

– Ele está de novo na cidade, não é?, indagou ele, sabendo já a resposta.

– É, sussurrou ela, os olhos ainda voltados para o chão.

– Isso vai acabar um dia?, ele quase chora buscando o olhar dela.

– Vai. Mas ainda não acabou. Preciso ir agora.

– Por favor, fique. Eu não sei se vou aguentar dessa vez – disse o homem, e ele tinha medo na voz.

– Eu preciso ir – ela levantou os olhos para ele e quase fez um carinho em seu rosto.

Ele então lhe deu passagem. Ela hesitou um pouco, mas saiu, passos firmes, fechando a porta atrás de si. Ele preparou uma bebida. Afundado na poltrona, não precisava esconder de ninguém o sofrimento e a lágrima que caía. Depois de alguns minutos percebeu que chovia e correu até a janela. Olhou a rua encharcada e disse para si mesmo, baixinho:

– Ela vai se molhar.




Tags:,

6 de novembro de 2014 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos amar, medo

               
              
            
                

Deixe um comentário