Close

fogo

Lembranças: modos de tratar

Há lembranças que devem ser guardadas num cofre forrado de cetim, como tesouro roubado dos piratas do tempo, que de tudo se apropriam. Sempre que o coração pedir, pode-se tirar a poeira acumulada na tampa e acarinhar cada uma delas. Quando tocadas, provocam riso, iluminam os olhos, confortam a alma, e isso é bom. Outras, […]

Ler Mais

Fim

Fechei a janela quando a noite desceu, quando meus ossos puderam sentir, de pronto, que o frio já mordia o ar e que o inverno, agora sem dúvida, já podia ser chamado de inverno. Esqueci por um momento a noite que descia e lhe ofereci a mão. Apertei forte os seus dedos, segurei-os com cuidado […]

Ler Mais

Hortênsia no vermelho

A boca de Hortênsia secou quando viu a silhueta do andarilho recortada contra o céu vermelho: sabia que algo diferente estava para acontecer naquela cidade de fim de mundo. Seu corpo sentiu um frêmito e ela sorriu levemente. Segurou o cabelo negro com as duas mãos e abriu bem os olhos: não queria perder detalhe. […]

1 de fevereiro de 2016 < a href="http://homemdepalavra.com.br/author/" title="Visualizar todas as postagens por " rel="author"> Contos demônio, fogo, vermelho

Ler Mais

A palavra, paraíso e danação

Como o sol refletido no telhado vermelho das casas, ou sobre a superfície do Oceano Atlântico, assim quero que sejam minhas palavras: brilhantes. Ou como a madrugada que desaparece de mansinho logo que a manhã irrompe: que minhas palavras sejam assim, frescas. Reluzentes, polidas, lustrosas, enceradas, ou duras e secas, ásperas e rugosas quando preciso […]

Ler Mais